domingo, fevereiro 19, 2017

Saúde espiritual

"A saúde espiritual de um homem é exactamente proporcional ao seu amor por Deus."

C. S. Lewis

sábado, fevereiro 18, 2017

Ele há coisas e coisas

Por duas vezes o apóstolo Paulo diz que todas as coisas lhe eram permitidas, mas nem todas as coisas lhe eram convenientes (1 Coríntios 6:12 e 1 Coríntios 10:23). Porquê? Primeiro, porque existem coisas que nos procuram dominar, afastando-nos de Deus e da Sua vontade. Segundo, porque nem todas as coisas servem para a edificação das outras pessoas e para o nosso bom crescimento. Há coisas que glorificam a Deus e outras que não. "Portanto", conclui Paulo, "quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus" - 1 Coríntios 10:31.

segunda-feira, fevereiro 13, 2017

Há um céu e um inferno



Na história do Rico e Lázaro que preguei ontem na nossa congregação, Jesus não pretende ensinar que o rico dessa parábola foi para o inferno por ser rico ou que o pobre Lázaro foi para o céu por ser pobre. Não é a riqueza que condena, nem a pobreza que salva. O que condena as pessoas é a confiança em qualquer coisa menor que Deus. A grande ilusão desta vida é as pessoas viverem distraídas com a vida presente, esquecendo-se da futura. Quem ignora Deus e as pessoas à sua volta aqui, será abandonado e atormentado lá, na eternidade. E a verdade é que não há segundas oportunidades depois da morte.

O testemunho que pode salvar as pessoas está claramente revelado na Bíblia. A Palavra de Deus é suficiente e poderosa para salvar o pior dos pecadores. "Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos!" (Lucas 16:29). Ouvir e crer nas Escrituras é tão importante nesta vida, que determina no lugar onde passaremos toda a eternidade. “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa” (Actos 16:31).

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Aprender é ser

Aprender é muito mais do que adquirir conhecimentos, competências ou habilidades. Aprender é ser. Aprendemos de facto, quando a aprendizagem afecta o nosso carácter e muda maus saberes e comportamentos. Crescemos, quando pomos em prática o bem que conhecemos e o som da luz que vamos colhendo. Conhecimento que não nos transforma para o bem, é mau. Aprender é escutar melhor o céu. Quanto mais amamos, mais conhecemos.

domingo, fevereiro 05, 2017

O paradoxo do discipulado

"Seguir Jesus está em tudo relacionado com este mundo, mas não tem quase nada em comum com este mundo."

In: Eugene Peterson. O Caminho de Jesus e os atalhos da Igreja. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2009, p. 303.

segunda-feira, janeiro 30, 2017

A Verdade suplanta a Pós-verdade

A Porto Editora tem promovido nos últimos anos a eleição de uma palavra que procura enaltecer a riqueza lexical da língua portuguesa. No ano de 2016, a palavra escolhida foi “Geringonça”. Este vocábulo foi usado para designar a coligação parlamentar que apoia o actual governo de esquerda. “Geringonça” simboliza uma coisa malfeita e com pouca solidez. Ao contrário do que muitos imaginaram, a Geringonça esquerdina lá se tem aguentado.

No final do ano passado, os editores que publicam os famosos dicionários britânicos "Oxford" também escolheram a sua palavra do ano. A escolha recaiu na curiosa expressão “post-truth”, que pode ser traduzida para português como “pós-verdade”. Esta expressão surge no contexto da saída britânica da União Europeia (o “Brexit”) e na sequência da surpreendente eleição de Donald Trump para presidente dos Estados Unidos. Segundo os dicionários Oxford, pós-verdade é um adjectivo que faz referência a circunstâncias em que os factos objectivos têm menos influência na formação de opinião pública do que os apelos emocionais e as opiniões pessoais. Ou seja, as opiniões e emoções vencem a verdade factual. Parece que o mais importante no pensamento actual é aquilo que cada pessoa opina, defende e escolhe acreditar. A pessoa é toda a verdade que existe. Na cosmovisão pós-moderna (que de moderna não tem nada), cada um tem o seu ponto de vista e isso é a verdade que importa.

Obviamente que a pós-verdade remexe com as entranhas de qualquer protestante esclarecido. O cristão acredita que há uma só verdade, a qual é Jesus Cristo. Os cristãos podem enganar-se, Cristo não. As verdades humanas são relativas e tendenciosas, Jesus Cristo é a única verdade completa, perfeita e absoluta. Partir do pressuposto que a nossa limitada opinião é toda a verdade que existe é fazer da própria verdade um embuste.

A era da “pós-verdade” não é nova. A Bíblia identifica claramente o inventor da pós-verdade: o diabo. Não há verdade nele e a mentira é aquilo que verdadeiramente o caracteriza. Ele sabe que o inferno está cheio de opiniões e emoções. Talvez o grande catedrático da pós-verdade tenha sido Pôncio Pilatos quando perguntou à própria Verdade encarnada o que era a verdade (João 18:38). Pilatos mandou matar a Verdade. Mas crucificar a Verdade não a cala. A Verdade suplantou a mais tenebrosa das tumbas.


Gosto de um belo texto do russo Fiodor Dostoievski em “Diário de um Escritor”:
Nós já esquecemos completamente o axioma de que que a verdade é a coisa mais poética no mundo, especialmente no seu estado puro. Mais do que isso: é ainda mais fantástica que aquilo que a mente humana é capaz de fabricar ou conceber. De facto, os homens conseguiram finalmente ser bem-sucedidos em converter tudo o que a mente humana é capaz de mentir e acreditar em algo mais compreensível que a verdade, e é isso que prevalece por todo o mundo. Durante séculos a verdade irá continuar à frente do nariz das pessoas mas estas não a tomarão: irão persegui-la através da fabricação, precisamente porque procuram algo fantástico e utópico.

A “pós-verdade” é trágica. Tudo o que seja antes e depois da verdade é mentira. A verdade é muitas vezes diferente do que nos contam, do que se lê e vê nas televisões, jornais e redes sociais. A realidade virtual é isso mesmo: apenas virtual. A pior ilusão que a revolução tecnológica nos trouxe foi levar-nos a pensar que aquilo que lemos e ouvimos dos nossos “amigos”, “seguidores”, grupos e guetos é toda a verdade que existe. Não é.

A resposta que Jesus deu ao céptico Tomé, permanece verdadeiramente imprescindível para o Homem pós-verdade: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim" - João 14:6. A Verdade é O caminho que se faz Vida. Andemos nEle.


Jorge Oliveira
(Crónica publicada na edição nº 164 - Janeiro-Março 2017, na Revista Refrigério)

domingo, janeiro 29, 2017

Crescimento = Mudança e continuidade

"Mera mudança não é crescimento. Crescimento é a síntese de mudança e continuidade, e onde não há continuidade não há crescimento."

C. S. Lewis

terça-feira, janeiro 24, 2017

Sobretudo na frialdade

Está frio. É o tempo dele. O pior dos gelos é outro: um coração insensível a Deus e ao próximo. Por estranho que pareça, a pior das frialdades não está fora de nós, é nossa. O "EU" e as hostes geladas das trevas esfriam e petrificam o ser.

O egoísmo regela mas o amor aquece. Basta um pequeno sopro de vida divina e toda a algidez humana se esvai. Está alguém com frio? Ame! Deixe-se amar e ame. Já o disse aqui uma vez e repito: não há bloco de gelo que resista ao fogo do céu. Fogo que aquece a alma e a vida.

"Sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados." (1 Pedro 4:8)