domingo, dezembro 17, 2017

Coisas más a pessoas boas?

"Porque é que coisas más acontecem a pessoas boas? Isso só aconteceu uma vez na história e essa pessoa foi injustiçada voluntariamente."

R.C. Sproul (1939-2017)

sábado, dezembro 16, 2017

O Dom maiúsculo

"Graças a Deus, pois, pelo seu dom inefável." (2 Coríntios 9:15).

Deus dá-nos bênçãos e dá-se a si próprio. O Senhor concedeu-nos um mundo, um contexto, uma família, uma vida, mas a sua dádiva maior foi, sem sombra de dúvidas, o Seu Filho Unigénito. Jesus é o dom maravilhoso de Deus à humanidade. O Natal basicamente é a história da dádiva divina. O versículo desta meditação está inserido num contexto de incentivo à partilha de ofertas materiais, contudo, o dom inefável de Deus - O Senhor Jesus Cristo - não se compara à melhor das nossas ofertas materiais. A dádiva amorosa e sacrificial que Deus fez por nós é incomparável. Os nossos donativos são importantes para Deus e para a sua obra, mas as nossas ofertas não se equiparam à maior generosidade que Deus demonstrou para connosco.

Deus amou-nos e deu-se no seu Filho. Jesus tomou forma humana para que pudesse morrer por nós e pelos nossos pecados. Sim, faz todo o sentido falar da Páscoa no Natal. A motivação da encarnação é sobretudo passional. Graças a Deus pela suprema dádiva do Pai, O Senhor Jesus Cristo. Ele é o maior e melhor Dom. Jesus é o Dom maiúsculo.

quarta-feira, dezembro 13, 2017

O Espírito da verdade e o espírito do erro

“Precisamos manter o equilíbrio bíblico, evitando por um lado a extrema superstição que crê em tudo, e por outro a desconfiança extrema que não crê em nada.”
John Stott.

No sermão de Domingo preguei sobre o capítulo 4 da Primeira Carta de João. Os primeiros versículos do capítulo fazem o contraste entre o Espírito da verdade com o espírito do erro. Na segunda parte do capítulo, o Apóstolo João discorre acerca do amor de Deus que se traduz em amor fraternal. Não deixa de ser deveras interessante que João ligue o Espírito de verdade ao amor. Amar não significa aceitar todas as coisas. Andar na verdade, mais do que defender uma ideia correcta, é andar e permanecer em Cristo e na sua Palavra.

Num tempo de tanta confusão espiritual, o alerta do Apóstolo é pertinente: “Não creiais em tudo, antes provai tudo” (v.1). O inclusivismo, a ingenuidade e a ignorância nas coisas espirituais são perigosas. Continuam a existir hoje muitos falsos profetas que enganam, manipulam e tentam deturpar a verdade. Devemos estar atentos e averiguar se os ensinamentos espirituais que ouvimos têm origem em Deus ou se têm outra proveniência.

Aquilo que se diz acerca de Jesus Cristo é crucial para perceber o Espírito da verdade do espírito do erro. Por exemplo, sobre a encarnação de Jesus. O Jesus dos gnósticos não era o Jesus encarnado, portanto, estavam a acreditar e propagar um Jesus falso. A Palavra de Deus, a Bíblia, é sempre a régua, a métrica, a pauta espiritual que define se algo é de Deus ou não. O cristão verdadeiro ouve e segue Jesus Cristo.

Por outro lado, não precisamos temer as seitas, o diabo ou o mundo - “Maior é Deus que está em nós” (v.4). O Espírito de Deus, O Espírito da verdade, está nos filhos de Deus e é mais poderoso do que todo o erro e mentira. A vitória é espiritual e intelectual. Os argumentos são divinos. Não há verdade sem o amor de Deus, mas sobre o amor de Deus escreverei num próximo post que este já vai longo.

domingo, dezembro 10, 2017

Sou o que sou pela graça de Deus

"Não sou o que posso ser, não sou o que devo ser, não sou o que quero ser, não sou o que espero ser; mas agradeço a Deus porque não sou o que outrora era, e posso dizer com o grande apóstolo: 'Pela graça de Deus, sou o que sou.'"

John Newton

quinta-feira, dezembro 07, 2017

Jerusalém é a Capital do mundo

Parece-me muito claro que um líder de uma nação tem toda a legitimidade para colocar a sua embaixada na cidade de um outro país que muito bem entender. Além disso, quando a decisão foi devidamente conhecida, anunciada e divulgada em campanha eleitoral e está devidamente ratificada pelo Congresso do seu país, ainda mais justificada está. Esta repentina indignação mundial deveria estar direcionada, não para a decisão de Donald Trump colocar a sua embaixada em Jerusalém, mas para a ameaça anunciada de uma nova intifada por parte do Hamas. A arma dos fracos é sempre a violência, o terrorismo e a guerra. São essas atitudes que devem merecer a condenação mundial.

Por outro lado, ninguém pode impedir as convulsões que estão por vir por causa de Jerusalém. Mais do que uma questão política, Jerusalém é matéria religiosa. Como bem lembra o meu amigo Normando, poderá ter começado o cumprimento profético de Zacarias 12:2, 3: "Fala o Senhor: Eis que Eu farei de Jerusalém um cálice de tontear para todos os povos em redor... Naquele dia farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem se ferirão gravemente; e, contra ela, se ajuntarão todas as nações da terra."

terça-feira, dezembro 05, 2017

Mestre Rute Oliveira

Este é o dia em que a minha filha primogénita ficou Mestre em Auditoria. Estou muito grato a Deus pelo teu percurso académico, pelo teu exemplo, empenho e pela pessoa extraordinária que és.

Muitos Parabéns Rute!

domingo, dezembro 03, 2017

Pensando em Cristo

"Ninguém jamais pensou demasiado em Cristo"

J. C. Ryle